Chavistas marcham em Caracas para medir força com oposição

As principais ruas e avenidas deCaracas foram cenário hoje de uma nova medição de força,desta vez com os partidários do presidente Hugo Chávez saindo emmarcha para demonstrar que o governo, afetado por uma severacrise política e econômica, conserva um importante apoiopopular.Em torno da marcha governista há uma grande expectativadevido à atual situação política de Chávez, depois queassociações civis e as maiores organizações empresariais esindicais do país lhe deram um ultimato: que renuncie ouconvoque eleições imediatamente, ou enfrentará uma greve geral apartir do próximo dia 24.O ultimato foi lançado depois de uma marcha que reuniu maisde um milhão de pessoas nas ruas da capital venezuelana naquinta-feira para exigir a antecipação das eleições. O governorespondeu que apenas aceitará um referendo sobre o assunto emagosto de 2003, como reza a Constituição.Portando bandeiras da Venezuela, cartazes a favor do governoe fotos de Ernesto "Che" Guevara - ícone da guerrilha deesquerda -, dezenas de milhares de pessoas, provenientes dediversos Estados do país, marcharam pelas ruas de Caracas. O ato é realizado em meio a um tenso ambiente dominado porrumores de descontentamento nas Forças Armas. A este cenário,somam-se os problemas fiscais e uma severa recessão econômica.Chávez foi brevemente deposto na madrugada de 12 de abrilúltimo, quando chefes militares anunciaram sua renúncia, horasdepois de um sangrento protesto de rua em que morreram baleadas19 pessoas. Ele foi restituído ao cargo dois dias depois em meio amanifestações exigindo seu regresso e a rebeldia de militaresque rechaçaram o governo provisório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.