EFE/EPA/MIRAFLORES PALACE PRESS OFFICE
EFE/EPA/MIRAFLORES PALACE PRESS OFFICE

Chavistas planejam ato em prol da Constituinte em Caracas

Assembleia Nacional, controlada pela oposição, promete manter as sessões do Parlamento, com a presença de embaixadores de países que se opõem à nova Carta

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2017 | 12h18

CARACAS - Militantes chavistas se concentraram no centro de Caracas nesta segunda-feira, 7, para uma marcha até a sede do Parlamento, em apoio à Assembleia Nacional Constituinte instaurada pelo presidente Nicolás Maduro. 

Chamado de Grande Marcha Popular, o ato deve percorrer as principais ruas do centro. A Assembleia Nacional, controlada pela oposição, promete manter as sessões do Parlamento, com a presença de embaixadores de países que se opõem à Constituinte. 

O ato ocorre um dia depois de o chavismo denunciar uma suposta rebelião militar, no Estado de Carabobo. Segundo Maduro,  ataque a uma base militar perto da cidade de Valência foi cometido por um grupo de cerca de 20 "mercenários", e que dois deles foram mortos pelas forças militares, que os repeliram com sucesso.

Anteriormente no domingo, um homem que se identificou como Juan Carlos Caguaripano, ex-capitão da Guarda Nacional, anunciou a rebelião em um vídeo: "Exigimos a formação imediata de um governo de transição". Ele estava rodeado por uma dúzia de homens com uniformes militares.

Uma testemunha na área de uma base militar na cidade de Naguanagua informou ter ouvido tiros antes do amanhecer, mas autoridades venezuelanas afirmaram ter controlado a situação. /REUTERS e EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Nicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.