Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

Checagem de dados: o discurso de Trump sobre o Estado da União

Trump citou avanços na economia, infraestrutura e na luta contra o Estado Islâmico como parte dos feitos de seu primeiro de gestão; veja se estão corretos

O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2018 | 17h11

WASHINGTON - Repórteres do New York Times verificaram as declarações do presidente Donald Trump durante seu primeiro discurso sobre o Estado da União. Trump citou avanços na economia, infraestrutura e na luta contra o Estado Islâmico como parte dos feitos de seu primeiro de gestão. 

+ Os principais pontos do discurso de Trump sobre o Estado da União

Desemprego

“Desde a eleição, criamos 2,4 milhões de empregos novos, incluindo 200 mil empregos industriais”

O dado é verdadeiro, mas o contexto importa. A média de vagas criadas desde que Trump foi eleito é de 169 mil. Nos sete anos anteriores foi de 185 mil vagas por mês.

Questão racial

“O desemprego entre afroamericanos é o menor da história” 

O dado é correto, mas também necessita de contexto. A taxa de 6,8% é a menor da história, mas é resultado de uma tendência de longo prazo. Além disso, é discutível apontar isso como um feito do presidente, dado o pouco tempo que ele está à frente do país. 

+ Melania Trump volta ao cenário público no discurso de seu marido no Congresso

Impostos

“Fizemos o maior corte de impostos e a maior reforma tributária da história americana”

Falso. Trump tem dito isso, apesar de não haver evidências que apoiem essa afirmação. A reforma tributária de Ronald Reagan afetou uma parte maior da economia e teve mais efeitos na receita do governo. A lei aprovada na gestão de Trump é apenas a 12ª maior da história. 

Tecnologia

“A Apple anunciou planos de investir US$ 350 bilhões nos Estados Unidos e contrata 20 mil pessoas" 

Isso também é verdadeiro, mas precisa de contexto. A Apple fez o anúncio, mas dessa verba, prevista para os próximos cinco anos, US$ 275 bilhões já estavam previstos antes do corte. 

Energia

“Terminamos a guerra contra a energia americana e contra o carvão belo e limpo. Agora exportamos a energia para o mundo”

A frase é enganosa. No total, os Estados Unidos são importadores de energia e devem se tornar exportadores apenas na próxima década. O país tornou-se exportador de gás no ano passado e já exportava carvão desde antes da eleição de Trump. O país continua a importar petróleo.  Além disso, apesar de ser verdade que Trump retirou as regulações contra a produção de carvão, não fez quase nada para reviver a indústria, que já vinha em declínio há anos por ser menos competitiva que o gás natural. 

Setor automotivo

“Muitas empresas automobilísticas estão construindo e expandindo suas fábricas nos Estados Unidos, algo que não era visto há décadas” 

Isso é um exagero. Algumas fábricas de fato se expandiram, mas isso não é inédito. A Toyota abriu uma fábrica no Mississippi em 2011. O setor na realidade se contraiu no ano passado. 

Preço de remédios

“Uma das minhas maiores prioridades era reduzir o preço dos remédios sob receita. Em muitos países, esses remédios custam bem menos e isso é muito, muito injusto”

Verdadeiro. O preço dos remédios nos Estados Unidos é bem mais alto que em outros países, principalmente medicamentos de doenças como o câncer, que chegam a custar mais de US$ 50 mil. 

Comércio Exterior

“Os Estados Unidos finalmente viraram a página sobre décadas de acordos comerciais injustos que sacrificaram nossa prosperidade e abriram mãos de nossas empresas, riquezas e postos de trabalho” 

Essa afirmação está fora de contexto. Especialistas acreditam que a perda de empregos na indústria tem a ver com a globalização e a automação, mais do que com acordos comerciais. Pesquisas indicam que o Nafta teve um impacto insignificante nesse sentido. O que resultou num impacto profundo foi a entrada da China na Organização Mundial do Comércio, em 2001. 

Infraestrutura

“Construímos o Empire State em um ano. É uma desgraça levar dez para aprovar a simples construção de uma estrada” 

É parcialmente verdade, mas precisa de contexto. O Empire State, de fato, foi construído em um ano, mas não deveria ser comparado com o tempo necessário para a obra ser liberada. O próprio edifício icônico teve seu projeto inicial alterado 15 anos. Trump também está exagerando no prazo para a construção de estradas. Apenas as maiores levam 10 anos para serem licitadas. Projetos menores são mais ágeis. 

Imigração

“O terceiro pilar põe um fim à loteria de vistos, um programa que distribui aleatoriamente green cards sem critério de mérito, habilidade ou segurança”

Falso. O programa concede 50 mil vistos para países com índice baixo de imigração para os Estados Unidos e leva em conta critérios educacionais e de experiência. Os candidatos passam por exames e não podem ter ficha criminal, além de um processo de checagem de antecedentes que dura meses. 

Estado Islâmico

“A coalizão contra o Estado Islâmico libertou quase 100% do território controlado por esses assassinos no Iraque e na Síria”

A declaração é verdadeira, mas a iniciativa contra o Estado Islâmico começou ainda no governo Obama. Além disso, sua derrota militar não implica necessariamente no fim das operações do grupo. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.