Chefe da AIEA ameaça renunciar se Irã for atacado

Mohamed ElBaradei, diretor-geral daAgência Internacional de Energia Atômica (AIEA), disse querenunciaria ao cargo se houvesse uma ação militar contra o Irãe avisou que um ataque do tipo transformaria a região doOriente Médio em uma "bola de fogo". "O que eu identifico no Irã hoje é um perigo atual, sério eurgente. Se um ataque militar for realizado contra o Irã nestemomento, isso me impossibilitaria de seguir com meu trabalho",afirmou ElBaradei em uma entrevista divulgada pelo canal de TVAl Arabiya na sexta-feira. "Uma ação militar, na minha opinião, seria o pior doscenários possíveis. Isso transformaria a região em uma bola defogo", disse, notando que qualquer ataque do tipo só serviriapara convencer a República Islâmica, em definitivo, de queprecisa dominar a energia nuclear. "Se houver um ataque, isso faria com que o Irã, se aindanão estiver fabricando armas nucleares, mobilizasse todos osseus recursos para desenvolver armas nucleares sob a bênção dosiranianos, e mesmo daqueles que estão no Ocidente." O jornal The New York Times disse na sexta-feira que,segundo autoridades norte-americanas, Israel havia realizado umgrande exercício militar neste mês preparando-se,aparentemente, para um potencial bombardeio das instalaçõesnucleares iranianas. O jornal disse que autoridades israelenses não quiseram semanifestar a respeito do assunto. (Reportagem de Lin Noueihed)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.