Chefe da campanha de opositor colombiano renuncia após escândalo

TV disse que Hoyos e o espião preso em Bogotá lhe ofereceram informações sobre as negociações com as Farc

O Estadp de S. Paulo,

08 Maio 2014 | 11h41

BOGOTÁ - O chefe de campanha do candidato presidencial Oscar Iván Zuluaga, Luis Alfonso Hoyos, opositor ao atual presidente, Juan Manuel Santos, renunciou na noite de quarta-feira 7, após a emissora de TV colombiana RCN News informar que ele e Andrés Fernando Sepúlveda, espião preso na terça em Bogotá, lhe ofereceram informações sobre as negociações de paz do governo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

A emissora afirmou ter sido contatada e visitada em abril por Hoyos e Sepúlveda. Segundo o canal, na ocasião os dois disseram ter provas de que rebeldes das Farc estavam pressionando cidadãos a votar pelo presidente Santos nas eleições de maio.

Hoyos e Sepúlveda também teriam dito ter vídeos e gravações de diversos políticos de esquerda se reunindo para discutir a formação de um novo partido político das Farc. "A informação não tinha a qualidade ou precisão necessária para ser publicada", afirmou o chefe da RCN Rodrigo Pardo, acrescentando que as alegações foram checadas com outras fontes.

Sepúlveda tinha forte afinidade com o "uribismo", corrente ligada ao ex-presidente Álvaro Uribe e trabalhava na campanha de Zuluaga.

Hoyos negou ter cometido qualquer ilegalidade, mas disse que deixou o cargo para evitar prejudicar Zuluaga. A equipe de campanha do candidato negou ter conhecimento de atividades ilegais e pediu uma investigação do caso.

O presidente Santos pediu que a promotoria "chegue ao fundo desta questão"./ REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.