Chefe da diplomacia da ONU no Afeganistão deixará o cargo

Durante as eleições no país, Eide foi acusado de não ser duro o suficiente para conter as fraudes

Associated Press,

11 de dezembro de 2009 | 12h34

O mais alto diplomata da Organização das Nações Unidas (ONU) no Afeganistão, Kai Eide, disse que pediu ao secretário-geral Ban Ki-moon um substituto para seu cargo.

 

"Não estou pedindo demissão. Vou continuar até o fim do mandato e saio", disse à Associated Press.

 

Eide vinha sofrendo críticas do americano Peter Gailbraith, o segundo na hierarquia da ONU no Afeganistão. Segundo o diplomata, o norueguês não foi duro o suficiente para conter as fraudes nas eleições afegãs de novembro. Após denúncias no primeiro turno, o opositor Abdullah Abdullah desistiu da eleição, abrindo caminho para a reeleição do presidente Hamid Karzai.

 

Eide negou que sua decisão tenha sido motivada pela polêmica. "Foi uma controvérsia entre Gailbraith e o resto da comunidade internacional", disse. O mandato do diplomara acaba em março de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.