Michael Reynolds/Efe
Michael Reynolds/Efe

Chefe da inteligência dos EUA visita o Paquistão

Leon Panetta pretende reforçar laços após tensão por causa de operação que matou Bin Laden

Associated Press

10 de junho de 2011 | 19h27

ISLAMABAD - O diretor da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA, na sigla em inglês), chegou ao Paquistão nesta sexta-feira, 10, para conversar com as autoridades do país e reparar os laços entre as duas nações, estremecidos após a operação americana que terminou com a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden.

 

A visita de Panetta, que será o próximo secretário de Defesa americano, ao Paquistão é a primeira desde a operação de 2 de maio, que provocou críticas dos militares paquistaneses. Autoridades dos EUA disseram que o diretor da CIA vai conversar sobre a importância da relação entre os países no combate à Al-Qaeda.

 

Panetta participou de um jantar com o general Ashfaq Parvez, chefe do Exército, e o tenente-general Ahmed Shuja Pasha, chefe da principal agência de inteligência paquistanesa. A relação entre o futuro secretário de Defesa e os militares do Paquistão será fundamental quando ele ocupar o novo cargo.

 

A operação que matou Bin Laden provocou críticas de ambos os lados. Os paquistaneses acusaram os americanos de transpor sua autoridade ao realizar o ataque em Abbottabad sem antes consultar os militares. Já os EUA dizem que o Paquistão não faz o bastante na luta contra o terrorismo, já que o líder da Al-Qaeda estava em um lugar alcançável pelas inteligência do país asiático.

 

Não ficou claro por quanto tempo Panetta permanecerá no Paquistão, embora suas frequentes visitas sejam curtas. Sua viagem a Islamabad coincide com a passagem do presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, pelo país vizinho, na qual ele deve discutir com o americano o papel dos paquistaneses nas negociações com o Taleban para encerrar a guerra no Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.