Chefe da Irna e aliado de Ahmadinejad é preso em Teerã

Um assessor graduado do presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad, o jornalista Ali Akbar Javanfekr, caiu em desgraça, foi detido e levado à prisão nesta quarta-feira. Akbar Javanfekr era editor-chefe da agência estatal de notícias Irna, que noticiou a detenção. Ele foi preso no mesmo dia em que Ahmadinejad fazia seu discurso na 67ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York. A Irna noticiou que Akbar Javanfekr foi levado à sinistra prisão de Evin, perto de Teerã. Ele foi acusado de publicar material ofensivo ao islã e à "moral pública" e recebeu uma sentença de seis meses de prisão, informou a agência France Presse (AFP).

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2012 | 20h53

Em fevereiro, Akbar Javanfekr foi acusado pela primeira vez, mas apelou e ficou em liberdade. Na época, o advogado de Akbar Javanfekr disse que ele foi acusado de escrever um artigo em uma revista estatal que criticava o hábito de mulheres islâmicas vestirem véus na cabeça.

Javanfekr também enfrentou acusações em separado por supostamente ofender o líder máximo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, em seu website em abril de 2011. O jornalista, bem como Ahmadinejad, têm entrado no alvo de figuras ultraconservadoras do Parlamento e do regime iraniano, que acreditam que os dois são liberais demais. A agência de notícias paraestatal Fars confirmou a prisão de Akbar Javanfekr. Ahmadinejad deixará o cargo em 2013, quando ocorrerão eleições presidenciais no Irã e ele não poderá concorrer a um terceiro mandato. Nos últimos dois anos, a relação entre Ahmadinejad e Khamenei, líder máximo do Irã, foi abalada.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.