Chefe da ONU anuncia inquérito independente sobre guerra na Faixa de Gaza

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou nesta terça-feira que irá ordenar uma investigação sobre os ataques a algumas instalações da ONU e a utilização de outras delas para o armazenamento de armas durante a recente guerra de Israel contra militantes do Hamas na Faixa de Gaza.

REUTERS

21 de outubro de 2014 | 19h16

A entidade afirmou que dezenas de milhares de moradias foram danificadas ou destruídas nos 50 dias de combate e que 108 mil pessoas estão desabrigadas no território empobrecido e isolado há tempos.

Em um incidente, dezenas de pessoas foram mortas em uma escola da ONU durante um bombardeio israelense. Israel alegou que os militantes se valem das instalações da organização para estocar foguetes, razão pela qual elas são alvejadas.

Falando em uma reunião mensal do Conselho de Segurança da ONU sobre o Oriente Médio, Ban contou sobre sua visita a uma escola do organismo no campo de refugiados de Jabalia, onde civis procuraram proteção durante a guerra.

“Espero uma investigação minuciosa das Forças de Defesa de Israel sobre este e outros incidentes nos quais instalações da ONU foram atingidas e muitas pessoas inocentes foram mortas”, declarou.

“Planejo levar adiante uma comissão de inquérito independente para analisar os casos mais sérios, assim com as ocasiões nas quais se encontrou armamento em dependências da ONU”, acrescentou.

Mais tarde, o porta-voz de Ban, Stephane Dujarric, sugeriu que Ban planejava acelerar o estabelecimento do inquérito.

(Reportagem de Louis Charbonneau)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUINQUERITOGAZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.