EFE/Will Oliver
EFE/Will Oliver

Chefe da operação que levou à morte de Jean Charles se torna 1ª mulher a comandar polícia de Londres

Em julho de 2005, ela comandou a operação que levou à morte de Jean Charles de Menezes, de 27 anos, após ele ter sido confundido com um possível homem-bomba

O Estado de S. Paulo

22 Fevereiro 2017 | 15h57

LONDRES - O Reino Unido nomeou a experiente oficial antiterrorismo Cressida Dick, mais conhecida por ter chefiado a operação que levou à morte do brasileiro inocente Jean Charles de Menezes, como a primeira mulher a comandar a força policial de Londres, em seus 188 anos de história.

Cressida Dick, de 56 anos, se torna a oficial mais importante do país, chefiando uma força de cerca de 43 mil policiais e controlando um orçamento de mais de US$ 3 bilhões.

"Estou empolgada e honrada. Esta é uma grande responsabilidade e uma oportunidade incrível", disse Cressida, que vinha trabalhando para o gabinete de Relações Exteriores do Reino Unido após deixar a força de Londres em 2015.

Em julho de 2005, ela comandou a operação que levou à morte de Jean Charles, de 27 anos, morto com sete tiros na cabeça pela polícia na estação de metrô de Stockwell, no sul de Londres, após ser confundido com um possível homem-bomba.

Na véspera, quatro militantes islâmicos haviam tentado, sem sucesso, causar explosões na rede de transporte de Londres e a polícia acreditou erroneamente que Jean Charles seria Hussein Osman, um dos agressores foragidos, que morava no mesmo prédio que Jean Charles.

Apesar dos repetidos pedidos feitos pela família do brasileiro para que os policiais envolvidos na ação ou seus superiores fossem responsabilizados, os promotores disseram não haver evidências suficientes para que processos individuais fossem realizados. /AFP e REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.