Chefe das Forças Armadas do Reino Unido deixará cargo

O secretário de Defesa do Reino Unido, Liam Fox, informou hoje que o chefe das Forças Armadas, Marshall Jock Stirrup, deixará seu posto durante o próximo outono (no Hemisfério Norte), seis meses antes do fim previsto para seu mandato, em abril de 2011. Bill Jeffrey, outra autoridade do primeiro escalão da área de Defesa, também deixará o posto no outono. Fox afirmou ao jornal Sunday Times que os dois ficaram em seus cargos mais tempo que o necessário.

AE-AP, Agência Estado

13 de junho de 2010 | 12h13

Stirrup foi indicado em 2006 pelo governo trabalhista, que perdeu o poder em maio para a coalizão formada pelo Partido Liberal Democrata e pelo Partido Conservador. Hoje, o secretário de Relações Exteriores, William Hague, afirmou que os dois não estavam sendo punidos pelo crescente número de mortos no Afeganistão. Em entrevista à BBC, Hague disse que eles estão deixando os postos em um momento natural de mudança de pessoal.

O Reino Unido tem 10 mil soldados no Afeganistão e cerca de 300 já morreram desde a invasão ao país, em 2001. A baixa mais recente ocorreu ontem, na província de Helmand, quando um soldado foi atingido por uma explosão. Algumas autoridades da Defesa e militares acusam o governo trabalhista de redução do apoio financeiro para as tropas da linha de frente de combate no Afeganistão.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, tem afirmado que a nova administração mantém os compromissos do Reino Unido no Afeganistão, mas quer fortalecer o esforço de retirada das forças militares do país. O objetivo é acelerar a transferência do controle da segurança para as tropas do Afeganistão. O governo também está sendo pressionado a reduzir seus gastos bélicos, como parte das medidas para diminuir seu enorme déficit. Segundo Fox, podem ocorrer cortes no tamanho das Forças Armadas após uma revisão da área de Defesa, prevista para o fim do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.