Chefe de agência nuclear dirá que Iraque não violou resolução

A principal autoridade nuclear das Nações Unidas dirá ao Conselho de Segurança (CS) que o Iraque não está em ?violação flagrante? da mais recente resolução da ONU, mas que novas inspeções são necessárias para confirmar as alegações de Saddam Hussein, de que não há armas de destruição em massa no país, informam funcionários. Mohamed El-Baradei, diretor-geral da Agência Internacional de Agência Atômica (Aiea), organismo que lidera a busca por armas nucleares no Iraque, defenderá a necessidade de novas inspeções perante o CS, disse um funcionário da Aiea à Associated Press. ?Não há nada de novo no que temos visto. É quase tudo o que já vimos antes?, disse o funcionário, que pediu para não ter o nome divulgado. ?Não se trata de um juízo de valor sobre o documento? que Bagdá enviou à ONU no início do mês, disse o funcionário. ?É apenas dizer que temos de ir lá e verificar isso?.El-Baradei levará a mensagem ao Conselho de Segurança, e resistirá à pressão para declarar que o Iraque violou a Resolução 1441, que exigia uma abertura completa dos programas de armas do país. Perguntado se El-Baradei aconselharia o CS a declarar o Iraque em violação da 1441, o funcionário disse; ?Não, de jeito nenhum. O Iraque nos deu um monte de informação. Ele (El-Baradei) dirá que a questão chave, primordial, é que eles (o Iraque) afirmam ter apenas usos pacíficos para o que possuem, e que nós temos que nos certificar disso?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.