Chefe de Justiça afegão sentencia Bin Laden à morte

O novo chefe de Justiça do Afeganistão disse hoje que condenaria a morte Osama Bin Laden e o líder religioso do taleban, mulá Mohamed Omar, se algum dos dois fosse preso e julgado diante do tribunal afegão. "O mulá Omar e Bin Laden são responsáveis pela destruição do Afeganistão e por distorcer o Islã", disse Fazal Hadi Shinwari, um dia antes de viajar ao Afeganistão para assumir o cargo. "Omar e Osama são responsáveis por causar anarquia, o caos. De acordo com a lei islâmica, merecem a pena de morte", disse Shinwari, de 70 anos, que morou no Paquistão nas últimas três décadas. Ele acrescentou que Bin Laden, de origem saudita, e os árabes que lutam ao lado do Taleban impuseram sua agenda ao Afeganistão. ?Osama era o líder dos árabes e utilizou o Afeganistão contra outros países?, disse. Os soldados dos EUA e os combatentes antitaleban tentam prender Bin Laden e o mulá Omar, que estariam escondidos após o colapso do taleban, ocorrido em novembro. Shinwari disse que a interpretação "rígida e extremista do islã por parte do Taleban resultou na miséria do povo afegão e transformou o país num vazio de forças lideradas pelos EUA. O governo interino castigará também os responsáveis do Taleban pela morte dos afegãos", disse ele. No sábado, Shinwari disse à agência privada Afghan Islamic Press que de acordo com as leis islâmicas do Afeganistão os ladrões sofrerão mutilação de suas mãos e os adúlteros serão açoitados ou mortos à pedradas. ?Os casos de assassinato também serão resolvidos segundo as leis islâmicas", disse. Segundo o chefe da Justiça, o novo primeiro ministro Hamid Karzai já declarou que irá apoiar Shinwari na aplicação das leis islâmicas no Afeganistão. Leia o especial

Agencia Estado,

13 Janeiro 2002 | 10h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.