Omar al-Khani/Reuters
Omar al-Khani/Reuters

Chefe de paz da ONU diz que sírios escolheram 'caminho da guerra'

Organização encerra condenada missão de monitoramento no país e o impasse persiste

Reuters

17 de agosto de 2012 | 07h56

Texto atualizado às 12h35

BEIRUTE - O governo e os rebeldes da Síria "escolheram o caminho da guerra", disse um chefe de manutenção de paz da ONU, no momento em que a entidade encerra sua condenada missão de monitoramento naquele país e o impasse persiste entre as potências internacionais sobre como conter o conflito de 17 meses.

Veja também:

linkConselho de Segurança da ONU extingue missão na Síria

linkTemido irmão de Assad perde perna em ataque a bomba, dizem fontes

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Duas semanas após o enviado especial Kofi Annan renunciar como mediador da crise, frustrado com o fracasso da trégua de quatro meses, observadores militares não conseguiram fazer o monitoramento com segurança e autoridades da ONU disseram na quinta-feira que os últimos membros da missão deixarão Damasco em 24 de agosto.

"Está claro que ambos os lados escolheram o caminho da guerra, do conflito aberto, e o espaço para o diálogo político, o fim das hostilidades e a mediação é muito, muito reduzido neste ponto", disse o vice-chefe de manutenção de paz da ONU, Edmond Mulet.

No momento em que luta está sendo travada em torno da maior cidade da Síria, Aleppo, e sequestros sectários têm espalhado o conflito sírio para o frágil vizinho Líbano, potências ocidentais e a Rússia continuam em desacordo no Conselho de Segurança sobre o destino do presidente Bashar al-Assad.

Tudo o que sabemos sobre:
Primavera ÁrabeONUSIRIAGUERRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.