Chefe de polícia é esfaqueado na Alemanha

Um chefe de polícia conhecido por sua intransigente posição contra grupos de extrema direita foi esfaqueado ontem em Passau, no sul da Alemanha. A suspeita é de que neonazistas estejam por trás do crime. Segundo o porta-voz do ministério do interior, Oliver Platzer, Alois Mannichl, o chefe de polícia de Passau, foi golpeado no peito por uma pessoa não identificada. Mannichl, de 52 anos, passou por uma cirurgia e está em recuperação.A vítima contou aos investigadores que o agressor mandou os cumprimentos da "resistência nacional", termo pelo qual se identificam os extremistas de direita da Alemanha. O procurador do Estado, Helmut Walch, disse aos jornalistas que a faca usada no ataque foi achada e recolhida como evidência. Segundo ele, oficiais consideram o ataque uma tentativa de assassinato.As autoridades informaram ainda que 83 crimes em Passau foram atribuídos a militantes da extrema direita este ano. O número representa mais que o dobro dos casos registrados 2007.Sob a liderança de Mannichl, a polícia de Passau começou a monitorar reuniões e atividades de grupos de direita na região. Tais eventos têm freqüentemente terminado em atos de violência entre manifestantes neonazistas e a polícia.

AE-AP, Agencia Estado

14 de dezembro de 2008 | 18h49

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaneonazistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.