Chefe de polícia mentiu sobre o caso Jean, afirma jornal

O jornal britânico Daily Telegraph traz editorial nesta terça-feira no qual afirma que o comissário Ian Blair, o chefe da Polícia Metropolitana de Londres, "ou mentiu ou estava mal informado" sobre a morte do brasileiro Jean Charles de Menezes. Mas o jornal acrescenta que só será possível chegar a uma conclusão após a divulgação do relatório independente sobre a operação que resultou na morte do brasileiro. Jean Charles de Menezes foi morto a tiros por policiais à paisana na estação de metrô de Stockwell, no sul de Londres, em 22 de julho de 2005, um dia após os ataques a bomba frustrados realizados contra o sistema de transporte da cidade. Pouco após a operação, Ian Blair afirmou que o homem morto no metrô era um suspeito de ligação com os autores dos atentados de 7 de julho, em Londres. Somente no dia seguinte a polícia informou que a pessoa morta na operação não tinha ligações com os ataques.Outro diário britânico, o Guardian, traz editorial sobre o mesmo tema nesta terça. O texto elogia o comissário. Diz que ele "foi o mais importante renovador da Scotland Yard nos últimos anos e fez reformas difíceis e necessárias" dentro da polícia, o que explica que ele tenha feito inimigos. De acordo com o jornal, estes inimigos "cooptaram parte da mídia em sua campanha".Mas o diário acrescenta que o grupo que apóia Blair não deve dar ao comissário um "salvo conduto" e acrescenta que ele "cometeu erros que merecem críticas. Ele tem de responder pela avaliação de operações - muitas vezes feitas no calor do momento - da maior organização policial do país?.Mas o Guardian também traz críticas à Comissão Independente de Queixas contra a polícia - o órgão que formulou o relatório independente sobre a ação policial no metrô de Stockwell e que está em vias de publicá-lo. O diário critica o fato de o IPCC ter supostamente vazado a íntegra do dossiê para um tablóide londrino que costuma pagar por reportagens exclusivas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.