Chefe do combate ao terrorismo demitido no Paraguai

O chefe da agência paraguaia antiterrorismo, comissário Joaquín Pereira, foi destituído do cargo por maltratar sem justificativa cerca de 30 cidadãos estrangeiros de origem árabe, principalmente libaneses e sírios, informou hoje o governo de Assunção. O ministro do Interior paraguaio, Julio César Fanego, afirmou, em declarações à emissora de rádio Montecarlo, que o comissário Carlos Altemburger já assumiu o posto de Pereira.No último dia 21, na cidade de Encarnación, quase 400 quilômetros ao sul na fronteira com a província argentina de Misiones, foram invadidas cerca de 30 casas e lojas de eletrônicos, propriedades de sírios, libaneses e jordanianos. Os cidadãos de origem árabe tiveram suas mãos atadas, foram empurrados e, alguns casos, arrastados pelos agentes, que atuaram com metralhadoras e encapuzados, apesar de não ter havido nenhum tipo de resistência.Seis dos detidos foram libertados em seguida. Outros 11 serão processados judicialmente por suposta posse de documentos falsos de imigração. Não há informações sobre os 13 restantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.