Chefe do Exército britânico quer mais tropas no Afeganistão

País está disposto a enviar até mais 2 mil militares ao país, diante do temor de que a missão ocidental fracasse

27 de março de 2009 | 08h23

O chefe do Exército britânico está disposto a enviar até mais 2 mil militares ao Afeganistão, diante do temor de que a missão ocidental nesse país fracasse se não chegarem reforços suficientes.

 

Assim disse ao jornal "The Times" o general Richard Dannatt, que precisou que os reforços poderiam ser elementos da 12ª brigada mecanizada, que, a princípio, esteve treinando para ir ao Iraque.

 

A decisão de enviar esses reforços, atualmente em fase de discussão no Governo, elevaria o contingente britânico em país asiático para 10 mil.

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar hoje o envio de outros 17 mil soldados americanos e um aumento do pessoal civil, como parte de uma nova estratégia para aquele país.

 

Até agora, tiveram pouco êxito os esforços de americanos e britânicos para convencer outros países a oferecerem mais tropas ao Afeganistão.

 

Dannatt, chefe do Estado-Maior Conjunto, explicou que não há, por enquanto, planos para enviar ao Afeganistão uma brigada inteira do Reino Unido, o que elevaria para 12 mil os efetivos britânicos.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãomissão ocidentalterror

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.