Chefe do Exército da Coreia do Sul pede demissão

O chefe do Exército da Coreia do Sul, general Hwang Eui-don, pediu demissão hoje. A decisão foi aceita pelo Ministério da Defesa do país, segundo anúncio de um porta-voz, que não deu mais detalhes. O motivo da demissão não ficou muito claro. A agência de notícias Yonhap afirmou que o militar, que havia sido nomeado em junho, estava envolvido em uma controvérsia sobre lucros de um investimento em uma propriedade.

AE, Agência Estado

14 de dezembro de 2010 | 09h53

A saída do general ocorre em um momento de tensão entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte, no mês seguinte ao ataque de artilharia norte-coreano que matou dois militares e dois civis sul-coreanos. A saída é mais um revés para os militares sul-coreanos, criticados no país por sua resposta supostamente fraca diante da ação norte-coreana na disputada fronteira entre os dois países no Mar Amarelo, em 23 de novembro.

Após o incidente, o ministro da Defesa sul-coreano Kim Tae-young pediu demissão. Foi o primeiro ataque contra uma área civil na Coreia do Sul desde o fim da Guerra da Coreia (1950-53). Na ocasião, a Coreia do Sul reagiu com artilharia, mas não usou ataques aéreos. Os militares prometeram usar esse poder aéreo, caso um incidente similar ocorra.

A Coreia do Norte afirmou que apenas reagiu a um disparo em suas águas territoriais feito por Seul durante um exercício. O governo sul-coreano confirmou a realização de um exercício, mas negou ter disparado nas águas do vizinho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.