Chefe do narcotráfico diz ter financiado campanha de Uribe

Governo colombiano nega acusações de líder de cartel condenado nos Estados Unidos

Claudia Jardim, BBC

23 de abril de 2009 | 22h36

Um dos mais poderosos chefes do narcotráfico na Colômbia afirmou ter financiado a campanha eleitoral do presidente colombiano, Álvaro Uribe, alegando que era a única maneira de livrar o país da "ameaça comunista".

Diego Murillo, conhecido como "Don Berna", foi condenado na quarta-feira por uma corte dos Estados Unidos a 31 anos de prisão e ao pagamento de US$ 4 milhões em multas pelo crime de narcotráfico.

Após ser condenado, "Don Berna" disse que fez campanha a favor de Uribe e que vendia drogas "para ajudar a seu povo".

"O acusado apoiou a eleição do presidente Uribe em 2002, doou grandes quantidades de dinheiro à sua campanha, fez campanha a seu favor (...) porque acreditava que a paz era importante", afirmou Margaret M. Shalley, advogada de Murillo.

"Era a única maneira de confrontar o avanço das guerrilhas comunistas", acrescentou.

Desde que chegou ao poder, Uribe tem endurecido a política de combate às guerrilhas e incentivado a desmobilização dos rebeldes com a promessa de pagamento de recompensas.

"Don Berna" foi extraditado em maio do ano passado para os Estados Unidos, junto a outros 13 chefes das Autodefesas Colombianas (AUC), grupo paramilitar de direita criado para enfrentar as guerrilhas de esquerda no país.

Governo nega

O ex-chefe de campanha de Uribe, Fabio Echeverri, por sua vez, negou a acusação do chefe narcotraficante, ao alegar que foram tomadas "precauções" para evitar a "infiltração" de dinheiro proveniente de grupos fora da lei."Tínhamos uma auditoria completa, nunca houve dúvida nenhuma, nenhum problema", afirmou Echeverri a uma rádio colombiana.

O presidente do Conselho Nacional Eleitoral, Héctor Osorio, disse que o organismo só poderá "tomar medidas" quando houver uma denúncia sustentada em evidências.

"Até agora não temos nenhuma prova que demonstre (esse apoio)", afirmou a uma televisão local.

As declarações de "Don Berna" vêm a público em um momento que em congressistas governistas tentam aprovar uma reforma constitucional e um projeto de referendo para aprovar a candidatura de Uribe a um terceiro mandato presidencial.

Criadas em 1980 com o financiamento de latifundiários e líderes de direita, sob o argumento de combater as guerrilhas, os grupos paramilitares (AUC) são responsabilizados por milhares de assassinatos e de outros crimes relacionados com o narcotráfico.

Leia também na BBC Brasil: Acusado de esquema de pirâmides diz ter financiado campanha para reeleição de UribeBBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.