Chefe do painel de Clima da ONU descarta renúncia

O chefe do painel de cientistas das Nações Unidas para o Clima, Rajendra Pachauri, disse hoje que ele não vai pedir demissão do cargo, apesar de admitir os erros publicados no relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), publicado em 2007. Ele também afirmou que não será adotada nenhuma ação contra os autores do relatório. "Eu não tenho a intenção de renunciar da minha posição", disse Pachauri hoje, afirmando que os erros não foram intencionais e não são significativos em comparação ao tamanho do relatório. Ele observou ainda que os erros não mudam o fato de que as geleiras glaciais estão derretendo mais rápido que nunca.

AE-AP, Agencia Estado

23 de janeiro de 2010 | 14h50

Os erros aparecem em uma subseção do estudo, ganhador do prêmio Nobel, que sugere que as geleiras do Himalaia poderiam derreter completamente até o ano 2035 - centenas de anos mais cedo do que os dados realmente indicam. O ano de 2350, aparentemente, foi invertido para 2035. O dado havia passado praticamente despercebido até que o Sunday Times questionou o número. Pachauri afirmou que estes erros devem ser evitados, porque programas efetivos contra as mudanças climáticas dependem de dados confiáveis. Ele disse que agora está trabalhando no 5º relatório do IPCC, com dados sobre as geleiras, oceanos, nuvens, contabilidade do carbono e aumento do nível do mar. Este documento deve ser divulgado em 2014.

O cientistas iniciaram investigação para saber como o dado foi publicado erroneamente. Na quinta-feira, o grupo desculpou-se pelo engano, afirmando que não foi intencional. Contudo, os erros abriram espaço para ataques dos mais céticos quanto às mudanças climáticas.

Amanhã, ministros do Meio Ambiente do Brasil, África do Sul e China devem se encontrar na capital indiana Nova Délhi para discutir como combater o aquecimento global. As quatro nações, que firmaram apenas um compromisso político com os Estados Unidos, no encontro realizado em Copenhague, terão papel decisivo na construção de um acordo climático. A expectativa da ONU é que este acordo seja concluído até o final de 2010, no México.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUmudanças climáticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.