Chefe do Partido Comunista da China é fuzilado por corrupção

Zeng Jinchun recebeu subornos no valor de US$ 4,7 milhões durante o desempenho de cargos locais entre 1997 e 2006

Efe,

31 de dezembro de 2010 | 02h28

O diretor do Departamento disciplinar do Partido Comunista da China (PCCh) na cidade de Chenzhou (província de Hunan) foi fuzilado por ter aceitado suborno, informou a agência oficial Xinhua.

Zeng Jinchun, que também era subsecretário do Comitê Municipal, recebeu subornos no valor de 31 milhões de iuanes (US$ 4,7 milhões) durante o desempenho de cargos locais entre 1997 e 2006, segundo a sentença de um tribunal de Changsha, capital de Hunan.

Em troca do dinheiro, Zeng ofereceu contratos ao setor minerador e postos de trabalho, acrescentou a sentença.

Zeng foi condenado à morte em novembro de 2008, e a apelação da sentença solicitada pelo réu foi rejeitada em julho do ano passado.

Dezenas de autoridades chinesas são condenadas à morte todos os anos por corrupção, um delito que para o governo chinês é a principal causa das críticas dos cidadãos ao partido que dirige o país desde 1949.

Tudo o que sabemos sobre:
Partido ComunistaZeng JinchunChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.