AFP PHOTO / Anatolii STEPANOV
AFP PHOTO / Anatolii STEPANOV

Chefe do Pentágono permite que transexuais sigam nas Forças Armadas

Secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, disse que militares transgêneros podem permanecer em serviço enquanto a ordem do presidente Donald Trump que proíbe a participação deles é analisada

O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2017 | 13h01

WASHINGTON - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, informou na terça-feira que os militares transexuais poderão permanecer em serviço enquanto analisa a ordem do presidente Donald Trump de proibir o ingresso de transgêneros nas Forças Armadas. 

Trump surpreendeu em julho ao anunciar que as pessoas transgênero não poderiam mais entrar para as Forças Armadas, modificando um plano adotado por seu antecessor, Barack Obama.

O republicano alega que a presença de transexuais nas Forças Armadas representa um elevado custo médico com tratamentos de mudança de sexo. Na semana passada, o presidente decretou que a medida entre em vigor no dia 23 de março de 2018.

Mas Trump deu a Mattis liberdade para decidir sobre o destino dos transgêneros que já integram as Forças Armadas.

A decisão do governo contra os transexuais foi alvo de severas críticas por parte de grupos de defesa dos transgêneros, membros das Forças Armadas e da União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU).

Mattis declarou na terça-feira que o Pentágono criará um grupo de especialistas para analisar a situação e desenvolver um plano, com o objetivo de determinar "o que é melhor para a eficiência das Forças Armadas no campo de batalha". / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.