Chefe israelense diz que crise atual é 'complicada'

A chefe da delegação israelense, Tzipi Livni, disse que as negociações de paz com palestinos estão "em crise", mas precisam continuar. Livni falou à TV norte-americana Channel 2, neste sábado, após uma semana em que os trabalhos mediados pelos Estados Unidos falharam.

Agência Estado

05 de abril de 2014 | 14h13

"Passamos por uma crise real" que é "muito complicada", disse Livni. Ela afirmou, contudo, que as conversas devem continuar, na esperança de que se chegue a um acordo de paz. A chefe da delegação israelense disse ainda que o presidente palestino, Mahmoud Abbas, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, deveriam falar diretamente.

A crise atual começou quando Israel não liberou uma leva de prisioneiros palestinos na data acordada. Em seguida, os palestinos assinaram pedidos de adesão às agências da ONU e convenções internacionais, o que haviam prometido não fazer enquanto durassem as conversas de paz. Israel respondeu então que não liberaria os prisioneiros. Os acontecimentos dificultaram a mediação das negociações pelo secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinospaz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.