Chefe regional do Partido Comunista chinês deve ser promovido

O chefe do Partido Comunista de uma das mais pobres províncias da China provavelmente receberá um cargo poderoso de Pequim este ano, disseram três fontes, como parte de uma remodelação antes de uma mudança da liderança nacional que deve garantir que a China continue a se abrir.

BENJAMIN KANG LIM, Reuters

18 de julho de 2012 | 12h51

Li Zhanshu, 61 anos e de visão reformista, foi dispensado como chefe do partido da província de Guizhou, no sudoeste da China, e substituído pelo governador provincial Zhao Kezhi, 58, informou a agência de notícias estatal Xinhua nesta quarta-feira. Li vai ser "transferido", disse a Xinhua, sem entrar em detalhes.

Li, que tem laços estreitos tanto com o presidente Hu Jintao quanto com o líder-em-espera, o vice-presidente Xi Jinping, é o favorito para se tornar chefe do poderoso Gabinete Geral, dentro do Comitê Central de 200 membros do partido, disseram duas fontes com conhecimento da promoção planejada de Li.

Ambas as fontes pediram anonimato para evitar repercussões políticas por falarem com a imprensa estrangeira.

O Gabinete Geral é o centro da liderança de alto escalão, que inclui decidir as reuniões e a agenda dos membros do Politburo. O gabinete é atualmente dirigido por Ling Jihua, um dos assessores mais próximos do presidente Hu.

Alternativamente, Li poderia tornar-se chefe do departamento de organização do partido, disse uma terceira fonte, também sob condição de anonimato. O departamento recomenda os 82,6 milhões de membros do partido para promoção ou rebaixamento.

A decisão final sobre o novo cargo de Li deve acontecer em uma reunião informal de líderes incumbentes e aposentados no resort de verão de Beidaihe, no final de julho e início de agosto, disseram as fontes.

Mais conteúdo sobre:
CHINACHEFEREGIONALPROMOCAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.