Chefes da polícia chilena são processados pela Operação Condor

O general reformado ManuelContreras e outros dois chefes da polícia secreta do ex-ditadorAugusto Pinochet foram submetidos a processo pelodesaparecimento de nove pessoas durante a Operação Condor,realizada conjuntamente pelos regimes ditatoriais do Cone Sul. Contreras e dois de seus subalternos, o brigadeiro PedroEspinosa e o coronel Christopher Willike, foram submetidos a umprocesso pelo juiz Juan Guzmán como autores do delito deseqüestro qualificado de nove esquerdistas desaparecidos entre1975 e 1977. A Operação Condor foi o plano das ditaduras do Brasil,Bolívia, Uruguai, Paraguai e Chile para provocar odesaparecimento de dissidentes, segundo informações deorganizações de direitos humanos. Segundo esses informes, Contreras é considerado um dosmaiores incentivadores desse plano repressivo, lançado emSantiago em 1975. Advogados de direitos humanos apresentaram nesta terça-feira uma petição acusando Pinochet como responsável peloPlano Condor, apesar de há quatro dias o mesmo juiz Guzmán terdesistido de tentar levar adiante outro processo contra ooctogenário ex-governante pelo desaparecimento de 12 dirigentesdo então proscrito Partido Comunista. Guzmán teve de sustar o pedido após os tribunais serecusarem a retirar a imunidade de Pinochet, alegando seu estadode demência subcortical. Hoje, no entanto, para poder submeter o ex-chefe deEstado a julgamento pela Operação Condor, o próprio Guzmán, apósreceber a demanda dos advogados Eduardo Contreras, FranciscoBravo e Sergio Concha, voltou a pedir a suspensão da imunidadede Pinochet. Em meados de 2000, o magistrado já havia conseguido asuspensão da imunidade do ex-mandatário quando o processou comoresponsável por alguns dos 3 mil mortos e desaparecidos deixadospor seu regime e o manteve sob pprisão domiciliar durante seissemanas, entre fevereiro e março de 2001. Os acusadores de Pinochet, que está com 88 anos, afirmamque ele não está demente e que isso ficou demonstrado duranteuma entrevista concedida pelo ex-chefe de Estado no mês passadoa um canal de televisão de Miami.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.