Chefes tribais afegãos pedem fim dos bombardeios

Preocupados com o que consideraram um erroamericano, líderes tribais de uma província oriental doAfeganistão onde um controvertido bombardeio dos EUA destruiu umcomboio de veículos pediram hoje o fim imediato dos ataquesaéreos em seu território. Cerca de seis líderes tribais da província dePaktia disseram ter feito o mesmo pedido numa reunião naquarta-feira com o primeiro-ministro interino Hamid Karzai, cujogoverno foi empossado no sábado. Os chefes tribais falaram hoje com repórteres nohotel Insaf da capital afegã, conhecido durante o regime Talebancomo um local usado por membros da Al-Qaeda. Eles disseram que Karzai prometeu pressionar os EUA parapararem com os bombardeios na província de Paktia, segundo AbdulHakim Munir, o porta-voz deles e antiga autoridade taleban. Munir abandonou a milícia depois que ela se recusou a entregarOsama bin Laden aos Estados Unidos. Ele garantiu que não há mais membros da Al-Qaeda em Paktia. Mas alguns funcionários da nova administração afegã, a inteligência dos EUA e antigos talebans acreditam que aindaexistem grandes bolsões de seguidores da Al-Qaeda escondidos nasmontanhas nevadas de Paktia. Uma semana atrás, bombas americanas atingiram um comboio queseguia por uma estrada vicinal nas montanhas de Paktia. OPentágono afirma ter recebido informação da inteligência dandoconta de que o comboio levava membros da Al-Qaeda que dispararamcontra os bombardeiros. Tribais de Paktia dizem que os EUA atingiram por engano ocomboio de líderes que seguiam para Cabul a fim de assistirem àposse do novo governo. Eles afirmam que o irmão de Karzai haviasido comunicado dos planos do comboio de ir a Cabul. Eles garantiram que até mesmo alguém - não ficou claro quem -contactou oficiais dos EUA em Cabul para notificar sobre aviagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.