Chega a 16 o total de vítimas de atirador na Alemanha

O número de vítimas fatais de um atentado em um colégio em Winnenden, próximo a Stuttgart, no sudoeste da Alemanha, subiu para 16. Um jovem vestido de preto abriu fogo hoje no colégio Albertville-Realschulle, onde estudou, deixando pelo menos 12 mortos e vários feridos. Tim Kretschmer fugiu em seguida e matou um pedestre na frente da escola. Depois, ele obrigou um motorista a dirigir até a cidade de Wendlingen, a 40 quilômetros do local dos crimes, e matou mais duas pessoas numa concessionária de carros. A polícia cercou o local e começou um tiroteio, ao final do qual o agressor suicidou-se. Um dos feridos morreu mais tarde no hospital. Das 12 pessoas mortas na escola, 11 eram mulheres e meninas.A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse que foi um "crime horrível e incompreensível". "É difícil colocar em palavras o que aconteceu hoje, mas nossa tristeza e simpatia estão com as famílias das vítimas", disse ela, em coletiva de imprensa. O Parlamento Europeu, em sessão em Estrasburgo, na França, fez um minuto de silêncio em memória às vítimas. "Ele chegou à escola com uma arma e praticou um banho de sangue", afirmou o chefe da polícia regional, Erwin Hetger. "Eu nunca vi algo assim na minha vida."De acordo com um comunicado da polícia, em frente à concessionária, "começou uma verdadeira batalha entre o agressor de 17 anos e a força policial, que caçava o jovem". "Segundo as últimas informações, o jovem de 17 anos suicidou-se", informou o comunicado. Testemunhas disseram que os estudantes que se encontravam no colégio começaram a pular as janelas do prédio, enquanto pais se aproximavam para ver o que estava ocorrendo. A escola, que recebe cerca de mil estudantes diariamente, foi esvaziada.Nenhum motivo para a matança ainda foi identificado. Na caçada pelo suspeito, a polícia fez uma batida na casa dos pais do agressor, em uma cidade vizinha. O pai do jovem, que participa de um clube local de tiro, tinha 16 armas em casa, uma das quais estava desaparecida, informou a polícia. Segundo os agentes, Tim Kretschmer usou uma pistola de alto calibre na matança.Massacre de ErfurtEsta foi a pior tragédia do tipo na Alemanha desde 2002, quando o jovem de 19 anos Robert Steinhaeuser atirou e matou 12 professores, uma secretária, dois estudantes e um policial antes de suicidar-se no colégio Gutenberng, em Erfurt. Steinhaeuser, que havia sido expulso do colégio após falsificar uma nota, tinha porte de arma e participava de um clube de tiro. Depois do ataque, a Alemanha aumentou a idade mínima para a posse de armas, de 18 para 21 anos. Com informações da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.