Chega a 208 número de mortos em choques étnicos no Quirguistão

Conflitos tiveram início em 11 de junho; governo admite que total de vítimas pode ser '10 vezes maior'

Efe

21 de junho de 2010 | 10h44

Soldados revistam usbeques suspeito de guardar armas em Osh.

 

MOSCOU - Pelo menos 208 pessoas morreram nos choques étnicos iniciados no último dia 11 no sul do Quirguistão, segundo o novo balanço de vítimas divulgado nesta segunda-feira, 21, pelo Ministério da Saúde dessa antiga república soviética na Ásia Central.

 

"De acordo com os dados oficiais do Ministério da Saúde, o número de mortos nos distúrbios que aconteceram no sul do país subiu para 208 pessoas", informou o escritório de imprensa dessa pasta, segundo a agência russa Interfax.

 

No entanto, a presidente interina do Quirguistão, Roza Otunbayeva, admitiu que o número real de vítimas fatais é muito mais alto, e em uma entrevista a um meio de comunicação russo chegou a dizer que "os números oficiais seriam multiplicados por dez".

 

O governo provisório quirguiz, que assegura que a situação no sul do país pouco a pouco se normaliza, anunciou nesta segunda a redução em duas horas do toque de recolher em Jalal-Abad, cidade que junto com Osh foi cenário dos sangrentos confrontos entre quirguizes e usbeques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.