Chega a 5 o total de mortos em confrontos no Peru

Chega a cinco o número de mortos na região de Cajamarca, no Peru, após violentos protestos contra o projeto Minas Conga, de extração de cobre e ouro, da companhia Newmont. Nesta quinta-feira, Reynaldo Núñez, diretor regional de saúde de Cajamarca, confirmou o óbito da quinta vítima, que estava ferida depois de enfrentamentos com a polícia na terça-feira na cidade de Celendín, 580 quilômetros a noroeste de Lima, onde morreram três civis. A quarta vítima morreu nesta quarta-feira em conflitos na cidade de Bambamarca, também em Cajamarca.

AE, Agência Estado

05 de julho de 2012 | 17h09

Há dois dias, o governo do Peru declarou estado de emergência, por 30 dias, em três províncias da região. A medida, que suspende as liberdades civis, entrou em vigor nesta quarta-feira e tem por objetivo restaurar a ordem nas localidades.

Resolver a questão relacionada ao projeto Minas Conga é visto como um teste da habilidade do governo para solucionar outros conflitos sociais, que têm atrasado investimento no importante setor de mineração do Peru. Companhias têm projetos no país no valor de mais de US$ 53 bilhões para os próximos anos.

Opositores das Minas Conga querem que o projeto seja cancelado, citando preocupações de potencial impacto no suprimento de água. As manifestações têm sido lideradas por Gregorio Santos, líder do governo regional de Cajamarca, bem como por grupos da sociedade civil. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Peruviolênciamineração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.