Niklas Hallen/AFP
Niklas Hallen/AFP

Chega à China o primeiro trem partindo de Londres

Com bebidas, produtos infantis e medicamentos, percurso cruzou 12 mil quilômetros em 18 dias

O Estado de S.Paulo

29 Abril 2017 | 04h22

PEQUIM - O primeiro trem com mercadorias entre a Inglaterra e a China chegou ao gigante asiático no sábado, 29, depois de um percurso de quase três semanas, lembrando as viagens das velhas expedições comerciais da Rota da Seda.

O comboio partiu em 10 de abril do porto de Stanford-le-Hope, no estuário do Rio Tâmisa, em direção a Yiwu, cidade com 2 milhões de habitantes na costa oriental da China. O trem transportou whisky, refrigerantes, produtos infantis e medicamentos voltados para o mercado chinês.

O trem cruzou a França, Bélgica, Alemanha, Polônia, Bielorússia, Rússia e Casaquistão. Com mais de doze mil quilômetros, a rota Londres-Yiwu é a segunda maior do mundo, atrás do percurso China-Madri, inaugurado em 2014. Em 2016, foi iniciada a rota que parte de Lyon, no centro-oeste francês. 

Londres é a 15ª cidade da Europa com conexão ferroviária para a China. O transporte por esse meio é mais barato que o aéreo e mais rápido que o marítimo, que leva em geral 30 dias. Por isso, há perspectivas de exportações de produtos agroalimentares para a China.

Nova rota da seda. Essas conexões ferroviárias fazem parte das "novas rotas da seda", iniciativa lançada em 2013 pelo presidente chinês Xi Jinping com o objetivo de fortalecer as relações da China com a Europa Ocidental. As conexões ferroviárias transcontinentais entre China e Europa já existem há dez anos. 

Até o momento, o retorno sobre o investimento não cobre os gastos com infraestrutura, segundo um informe publicado no ano passado pela Oxford Review of Economic Policy. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.