Chegada de ativistas pró-palestinos põe Israel em alerta

O governo de Israel se preparava hoje para a iminente chegada de centenas de manifestantes pró-palestinos ao principal aeroporto do país. Uma flotilha que partiria rumo à Faixa de Gaza, tentando romper o bloqueio israelense, acabou bloqueada pela Grécia.

AE, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 19h48

Os organizadores da campanha "Bem-Vindo à Palestina" afirmam que cerca de 600 ativistas, mais da metade deles franceses, devem voar para passar uma semana visitando famílias palestinas e têm "intenções totalmente pacíficas".

Ainda assim, o governo israelense reforçou a segurança no Aeroporto Internacional David Ben-Gurion, nos arredores de Tel-Aviv, e circulou entre as companhias aéreas uma "lista negra" de viajantes que deveriam ser barrados caso tentassem embarcar em voos com destino a Israel.

Até a noite de hoje (horário local), pelo menos oito pessoas foram impedidas de embarcar em Paris em voos com destino a Israel. A expectativa, no entanto, é de que a maior parte dos ativistas chegue ao país amanhã.

Centenas de policiais estão de prontidão no aeroporto, em uma aparente preparação para confrontos. "Há uma forte presença policial no aeroporto e no entorno, para evitar qualquer distúrbio", afirmou o porta-voz da polícia Micky Rosenfeld.

Flotilha

Os organizadores da flotilha de dez barcos queriam zarpar rumo a Gaza, desafiando o bloqueio israelense. Porém, a única embarcação que havia rompido o bloqueio grego até então acabou detida pela Guarda Costeira da Grécia em Creta hoje, quando reabastecia. Segundo um ativista, Claude Leostic, o barco foi barrado com vários argumentos administrativos. O iate francês havia partido de um porto grego na terça-feira.

Outros oito barcos com centenas de ativistas de vários países estão atualmente impedidos de zarpar. Uma embarcação irlandesa foi sabotada, segundo os organizadores, e está no conserto na Turquia. A flotilha partiria na semana passada. Atenas diz que agiu pela "segurança" dos ativistas. No ano passado, militares israelenses atacaram outra flotilha, matando nove ativistas turcos, um deles também cidadão norte-americano. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.