Chegam a Guantánamo os 14 detidos em prisões secretas da CIA

Os 14 detidos em prisões secretas da CIA - agência de inteligência americana - ao redor do mundo chegaram à base militar americana de Guantánamo, em Cuba, informou nesta quinta-feira o responsável da prisão, Harry Rear.Em declarações por telefone à imprensa, Rear disse que, logo após o grupo chegar a Guantánamo, ele mesmo se encarregou "de verificar a identidade e assinar a entrada de cada um deles".Em discurso feito na quarta-feira na Casa Branca, Bush admitiu pela primeira vez a existência de prisões secretas da CIA no mundo, além de anunciar a transferência dos 14 presos a Guantánamo.Entre eles estão suspeitos de planejar os atentados de 11 de setembro de 2001, contra Washington e Nova York, e responsáveis por ataques contra interesses americanos em países como Iêmen, Quênia e Tanzânia.Ao chegarem, os 14 detidos foram levados à parte leste da base, onde passaram por exames médicos e testes físicos. Segundo Rear, eles terão direito à mesma alimentação e serviços que os demais prisioneiros - poderão enviar e receber cartas, além de ter acesso ao Corão escrito em seu idioma, por exemplo.Atualmente há 455 detidos em Guantánamo. A base recebeu seus primeiros prisioneiros em 2002, em sua maioria suspeitos de terrorismo detidos no Afeganistão e Iraque.No entanto, Rear não quis dar outros detalhes sobre a chegada dos detidos, como se estão juntos ou separados numa cela ou se chegaram à base num só avião.Ele disse ainda que "na hora certa" os 14 detidos poderão receber a visita de representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e estarão disponíveis para mais interrogatórios por parte de outras instituições sem ser o Departamento de Defesa. Os detidos não terão acesso a advogados até serem acusados por crimes, segundo o Pentágono.Até quarta-feira, o governo americano não tinha reconhecido oficialmente a existência de prisões secretas da CIA, que vieram à luz no ano passado em artigo publicado pelo jornal The Washington Post.Bush revelou que a CIA manteve detidos em suas prisões nomes como Khalid Sheik Mohammed, suposto número três do grupo terrorista Al-Qaeda antes de ser capturado no Paquistão, em 2003. Outro dos detidos seria Abu Zubaydah, supostamente vinculado ao saudita Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.