Cheias do Rio Danúbio afetam Bulgária, Sérvia e Romênia

O Exército romeno e centenas de voluntários erguem barreiras para tentar minimizar os efeitos das cheias provocadas pelas chuvas no Rio Danúbio e seus afluentes, que atingem principalmente o norte da Sérvia e várias outras localidades ribeirinhas. O nível das águas continua crescendo e espera-se que as águas alcancem seu máximo histórico na Bulgária, na quarta-feira. Conforme os dados do Ministério de Administração e Interior, foram evacuadas mais de 600 pessoas de 12 distritos administrativos situados ao longo dos 1.075 quilômetros do curso inferior do Danúbio, que percorre a Romênia. Os especialistas informam que vários rios afluentes do Danúbio, como Olt, Jiu, Dambovita, Siret e Prut, superaram as marcas de inundações e começam a transbordar devido às fortes chuvas. Sérvia, em estado de alerta A Sérvia também está em alerta diante dos altos níveis das águas do Danúbio, Sava, Tamis, Tisa, Brzava e Begej, mas a situação é estável, já que o Danúbio e o Sava encheram apenas alguns centímetros desde sábado, e devem começar a descer neste domingo. O nível do Danúbio aumentou poucos centímetros desde sexta-feira nas cidades de Smederevo, Velika Gradiska e Golubac, situadas ao leste de Belgrado, e os diques, que foram reforçados constantemente nos últimos dias, estão conseguindo impedir o transbordamento. No nordeste da Sérvia, começaram a descer os rios Tisa, Tamis e Brzava, e ao longo do dia deve acontecer o mesmo com o Begej. Na parte búlgara, o nível do Danúbio continua crescendo e deve alcançar seu máximo na quarta-feira, enquanto unidades do Exército, proteção civil e voluntários trabalham dia e noite para reforçar e elevar a altura dos diques nas cidades ribeirinhas, onde o rio já está transbordando. Esta manhã, o nível das águas alcançou os 9,66 metros na cidade de Vidin, onde equipes de proteção civil e de bombeiros tentam em vão pelo segundo dia tirar a água do polígono industrial. Na maior cidade búlgara do Danúbio, Ruse, o nível do rio subiu 14 centímetros nas últimas 24 horas, até alcançar os 8,78 metros, e as águas começaram a cobrir o porto fluvial.

Agencia Estado,

16 Abril 2006 | 11h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.