Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Cheney agradece apoio australiano na ´guerra contra o terror´

O vice-presidente americano, Dick Cheney, agradeceu nesta sexta-feira ao governo da Austrália pelo apoio aos Estados Unidos na "guerra contra o terror", no primeiro discurso da sua viagem oficial de dois dias ao país."Depois de se manterem unidos em todos os grandes conflitos dos últimos 100 anos, EUA e Austrália agora se unem na luta decisiva contra o terrorismo", disse Cheney num hotel de Sydney aos membros da organização Diálogo de Liderança Executiva Austrália-América.Ele acrescentou que o objetivo dos terroristas é conseguir o controle do Oriente Médio, para estabelecer uma base territorial que incluiria a Espanha. Em seguida, lançariam ataques aos governos que se negassem a cumprir as suas exigências, segundo informou a agência australiana de notícias AAP."Seu objetivo, que proclamam abertamente, é estabelecer um califado que cubra uma região incluindo a Espanha, o norte da África, o Oriente Médio e o Sul da Ásia, até a Indonésia", afirmou.Cheney concluiu dizendo que os EUA continuarão presentes no Iraque para evitar uma batalha entre as facções radicais que disputam o poder no país.Críticas para a ChinaCheney afirmou nesta sexta-feira na Austrália que o rápido aumento da capacidade militar da China e o lançamento de seu primeiro míssil anti-satélite não correspondem à vontade anunciada pelo governo chinês de "crescer pacificamente como uma potência global"."O teste do míssil anti-satélite do mês passado e o rápido crescimento militar chinês não são construtivos e não combinam com o objetivo definido pela China de crescer pacificamente", disse Cheney num discurso em Sydney.No entanto, Cheney elogiou o papel da China no diálogo de seis lados que levou ao acordo para que a Coréia do Norte renuncie à sua capacidade para fabricar armas nucleares."Estados Unidos e Austrália temos as mesmas esperanças para o futuro da China: que seu povo goze de liberdade e prosperidade e que seu governo se transforme numa força para a estabilidade e a paz na região", acrescentou o vice-presidente.A evolução da China é também um dos temas que Cheney deve discutir esta tarde em sua reunião com o líder da oposição, o trabalhista Kevin Rudd.A visita oficial de Cheney, que chegou na noite de quinta-feira à Austrália, é alvo de protestos nas ruas de Sydney, onde centenas de manifestantes pediram nesta sexta-feira o fim da Guerra do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.