Cheney enfatiza postura americana por envio do Irã ao CS

O vice-presidente dos Estados Unidos Dick Cheney disse, nesta terça-feira, que o Irã não terá permissão de ter armas nucleares. Para Cheney, o assunto logo será levado ao Conselho de Segurança da ONU, pois o governo iraniano "continua desafiando o mundo com suas ambições nucleares". "O regime iraniano precisa entender que se continuar na direção para a qual está rumando, a comunidade internacional está preparada para impor conseqüências significativas contra eles", ameaçou o vice. No dia em que o caso do Irã encontra-se sob deliberação pelo conselho de governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena, Cheney reforçou a posição dos EUA de que o Irã deve ser levado ao Conselho de Segurança da ONU para possíveis sanções. Para o governo americano, o Irã está tentando criar armas nucleares. Teerã, no entanto, nega e diz que seu programa nuclear tem como objetivo gerar energia elétrica. Cheney afirmou que os EUA se uniram a "outras nações para mandar ao regime uma mensagem clara: nós não permitiremos que o Irã tenha armas nucleares". Ele também denunciou o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad por buscar a destruição de Israel e negar a existência do holocausto nazista. O vice-presidente disse ainda que apóia "as aspirações democráticas do povo do Irã" e que "os iranianos agüentaram uma geração de repressão nas mãos de um regime fanático que é um dos maiores patrocinadores do terror no mundo".

Agencia Estado,

07 Março 2006 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.