Chile admite discutir com a Bolívia saída para o mar

O chanceler chileno, Alejandro Foxley, disse nesta quinta-feira que a presidente Michelle Bachelet vai discutir com o governo da Bolívia todos os assuntos bilaterais, inclusive a reivindicação boliviana de uma saída para o mar, durante a II Cúpula da Comunidade Sul-Americana de Nações."Temos uma agenda de 13 pontos com o governo da Bolívia e nenhuma inibição para conversar sobre eles", disse Foxley aos jornalistas ao fim da primeira sessão de reuniões preparatórias da reunião presidencial, que começa na sexta-feira, na cidade boliviana de Cochabamba.Os dois países não têm relações diplomáticas desde 1978, exatamente por conta da polêmica que envolve a abertura de uma saída boliviana para o mar. A Bolívia perdeu seus territórios litorâneos durante uma guerra no fim de século XIX, em que se aliou ao Peru contra o Chile.Sobre os planos globais da Comunidade Sul-Americana, Foxley disse que o Chile quer "uma integração no plano físico, de infra-estruturas e na área da energia". Ele defendeu "uma norma comum a todos os países para poder atrair investimentos" ao setor energético.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.