EFE/Alberto Vald?
EFE/Alberto Vald?

Chile anuncia plano de reabertura após meses de confinamento

País é um dos mais afetados pela pandemia na América do Sul, com 330.930 casos confirmados e 8.503 mortos

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2020 | 08h01

SANTIAGO - O governo do Chile apresentou neste domingo, 19, um plano gradual de saída do confinamento pela pandemia do novo coronavírus. O país convive com regras de isolamento social pela pandemia há mais de quatro meses.

O plano foi apresentado pelo presidente Sebastián Piñera e é dividido em cinco etapas. Quarentena (mobilidade limitada), transição (primeira etapa de flexibilização, para evitar uma abertura brusca), preparação (relaxamento do isolamento para pessoas fora do grupo de risco), abertura inicial (retorno de certas atividades, mas sem aglomerações) e abertura avançada.

"Graças ao esforço da maioria que cumpriu as normas sanitárias, hoje, depois de 5 meses de pandemia, estamos completando 5 semanas de melhoria que dão as condições para iniciar um lento e cuidadoso processo, passo a passo, para retomar parte de nossas atividades", escreveu Piñera em sua conta no Twitter.

A implementação de cada uma das fases, contudo, ainea não tem prazo fixado e dependerá da situação de cada região do país. Em Santiago, onde vive quase metade da população chilena, a abertura gradual dependerá da confirmação dos prefeitos e das estatísticas epidemiológicas.

"Iremos avançando passo a passo, tendo sempre todos os cuidados necessários e nos preparando para reagir a tempo em caso de termos que dar passos atrás", disse o presidente.

"As cifras sanitárias mostram um horizonte que nos dá esperança. 12 de nossas 16 regiões estão mostrando melhorias nas últimas semanas", disse Piñera, que completou: "No entanto, falta muito caminho para percorrer até voltarmos a nos encontrar como antes. Mas hoje começamos a avançar. Passo a passo."

O Chile é um dos mais afetados da América do Sul, com  330.930 casos confirmados e 8.503 mortos pela covid-19./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.