Chile cobra do Brasil prisão de ex-guerrilheiros que estão no RS

O presidente chileno, Ricardo Lagos, confirmou hoje que as autoridades chilenas trabalham em coordenação com as do Brasil e Uruguai para capturar os assassinos ex-ideólogo do regime militar, senador Jaime Guzmán, cercados na cidade gaúcha de Santana do Livramento, que faz fronteira com o Uruguai.O jornal La Tercera informou hoje que há 10 dias se soube da presença dos ex-militantes da Frente Patriótica Manuel Rodríguez (FPMR) na zona fronteiriça entre Uruguai e Brasil. A polícia chilena não compreende a demora que ocorreu na detenção de Raúl Escobar (conhecido como comandante Emilio) e Pablo Muñoz, diz o jornal. Lagos disse hoje discretamente que "quando se obteve a informação de que aparentemente tais pessoas estariam ali, decidiu-se que seria necessário detê-las".Os ex-guerrilheiros foram localizados quatro meses após a prisão do ex-líder da Frente, Mauricio Hernández, vinculado ao seqüestro do empresário brasileiro Washington Olivetto, pelo qual foi pedido um milionário resgate.De acordo com o jornal - que obteve a informação há seis dias, mas não a divulgou a pedido das autoridades policiais -, altas personalidades do governo chileno se comunicaram com o colegas brasileiros para acelerar a detenção. O ministro do Interior, José Miguel Insulza, comunicou-se com o titular da pasta no Brasil, Miguel Reale, e o embaixador chileno fez gestões, além de cumprir com todos os requisitos legais, como o envio a Brasília de todos os documentos traduzidos.As autoridades chilenas estão perplexas diante do atraso na eventual apreensão dos acusados. Desde segunda-feira, a prisão era esperada a qualquer minuto, mas 48 horas depois nada de novo havia acontecido. O mais surpreendente - escreve o jornal chileno - é que, apesar de existirem evidências fotográficas de que Escobar esteve com Hernández, a juíza do caso Olivetto considerou não haver provas suficientes para ordenar sua detenção.O lugar onde estariam cercados os ex-insurgentes - que, junto com Hernández e Ricardo Palma, fugiram da prisão de segurança máxima de Santiago em 31 de dezembro de 1996 - é Santana do livramento, localizado no estado do Rio Grande do Sul e tem cerca de 800.000 habitantes. A vizinha Rivera, no Uruguai à qual se chega cruzando uma rua, tem 98.000 habitantes. A facilidade em cruzar de um país para outro complica as diligências, já que praticamente não existe controle fronteiriço. Cinco funcionários da polícia chilena se encontram na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.