Chile começa a destruir minas na fronteira com o Peru

ministra da Defesa do Chile, Michelle Bachelet, vai liderar a primeira fase da retirada de minas terrestres na fronteira entre o Chile e o Peru na próxima terça-feira. Os dispositivos foram colocados há 30 anos, logo depois do golpe militar de Augusto Pinochet. As minas serão retiradas por pessoal especializado do regimento Matucana de Arica. De acordo com a imprensa chilena, serão destruídas cerca de 2.032 minas antipessoais e antitanques. A maior quantidade de minas, instaladas pela ditadura de Pinochet, cerca de 500.000, está na fronteira com a Argentina.

Agencia Estado,

29 de julho de 2004 | 14h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.