Chile investiga suposta espionagem dos EUA

A chanceler do Chile, Soledad Alvear, informou nesta segunda-feira que o governo de seu país instruiu seuembaixador em Londres para que confirme versões da mídia sobreuma suposta espionagem no Conselho de Segurança das NaçõesUnidas por parte dos Estados Unidos. "Lemos sobre esta questão na imprensa e instruímos nossoembaixador no Reino Unido para que recolha dados sobre averacidade das informações. Até o momento é apenas informação daimprensa", afirmou Alvear. O jornal britânico The Observer denunciou em sua edição deontem que os Estados Unidos realizaram escutas telefônicas eviolações de correios eletrônicos em seis delegações de paísesdo Conselho de Segurança da ONU - Angola, Bulgária, Camarões,Chile, Guiné e Paquistão - que ainda não têm uma posiçãodefinida sobre o Iraque. O jornal londrino informou que o governo dos Estados Unidosestá realizando "armadilhas sujas" na guerra diplomáticatravada para conseguir apoio para iniciar uma guerra contra oIraque. Alvear antecipou hoje que no próximo dia 7, durante a reuniãodo Conselho de Segurança da ONU na qual será analisado o tema doIraque, o Chile reiterará a posição já tomada pelo presidenteRicardo Lagos. "Nos interessa o desarmamento do Iraque, escutaros inspetores (da ONU) e chegar a uma definição buscandoprecisamente fortalecer o multilateralismo e o papel das NaçõesUnidas neste tema", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.