Chile: número de mortes por terremoto sobe para sete

O número de mortes devido ao terremoto de magnitude 8,2 no Chile subiu para sete, depois que uma recém-nascida morreu por hipotermia nesta sexta-feira. Autoridades do Chile disseram hoje que o fornecimento de água e eletricidade, a venda de combustíveis e outros serviços essenciais estavam sendo retomados pouco a pouco três dias após o tremor no extremo norte do país.

AE, Agência Estado

04 de abril de 2014 | 19h21

Em Alto Hospicio, uma área pobre nas montanhas acima de Iquique, que foi uma das mais atingidas pelo terremoto, os serviços essenciais ainda não tinham voltado ao normal. A polícia relatou que um bebê de 6 meses morreu na região por hipotermia na tarde de sexta-feira. Ela estava dormindo em uma tenda montada no meio da rua com sua mãe. Cerca de 2.600 casas foram danificadas e a principal estrada que conecta o local com Iquique foi bloqueada por detritos após deslizamentos.

O governo também emitiu um alerta de saúde de três meses para as regiões atingidas pelos terremotos. O alerta permite a oficiais obter mais recursos para evitar a disseminação de doenças infecciosas por causa do lixo e da água contaminada por peixes podres em cidades portuárias. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chileterremotomortesserviços

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.