Chile reconhece o Estado palestino

Decisão do governo Piñera acompanha Brasil, Argentina, Bolívia e Equador

estadão.com.br,

07 de janeiro de 2011 | 18h40

SANTIAGO - O governo do Chile anunciou nesta sexta-feira, 7, que vai reconhecer a Palestina como um estado independente. A medida acompanha decisões tomadas por outros países latino-americanos, como Brasil, Argentina, Bolívia e Equador. O Uruguai deve formalizar o reconhecimento ainda este ano.

Veja também:

blog Gustavo Chacra: palestinos querem dar xeque-mate em Israel

blogRadar Global: Leia as cartas de Lula e Abbas

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

especial Linha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

"O governo do Chile, que permanentemente tem apoiado o direito do povo palestino a coexistir em paz com Israel, reconhece o Estado palestino livrem independente e soberano", disse o ministro das Relações Exteriores Alfredo Moreno.

O anúncio acontece uma semana depois do encontro do presidente chileno, Sebastián Piñera, com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, em Brasília, na posse de Dilma Roussef.

A maior parte do mundo ignorou a declaração de um Estado palestino feita por Yasser Arafat em 1988. Mas, com o processo de paz em crise, Abbas tem como plano B buscar o reconhecimento do Estado palestino nas Nações Unidas - embora ele tenha admitido que seja pouco provável conseguir o apoio dos EUA.

Em 1993, os acordos de Oslo constituíram a Autoridade Palestina, que controla as principais cidades da Cisjordânia. Israel, no entanto, detém ainda cerca de 60% do território. Em 2005, os israelenses saíram da Faixa de Gaza, governada atualmente pelo Hamas.

 

Com Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.