Chile reforça segurança antes do aniversário do golpe

A polícia chilena anunciou que vai designar cerca de 3 mil homens e um helicóptero para evitar os distúrbios que geralmente ocorrem nos dias anteriores ao aniversário do golpe que tirou da presidência o socialista Salvador Allende. O golpe fará 36 anos no dia 11 de setembro.

AE-AP, Agencia Estado

05 de setembro de 2009 | 15h32

A presidente Michelle Bachelet pediu a colaboração das universidades, de onde costumam sair as manifestações diurnas anteriores ao aniversário do golpe.

Algumas universidade e escolas anteciparam as tradicionais férias da terceira semana deste mês depois que universitários atacaram, com bombas incendiárias, o quartel da brigada de homicídios da Polícia de Investigações. O atentado foi atribuído a um grupo anarquista.

"Queremos que também as universidade colaborem neste sentido, sobretudo neste mês, em que grupos com o pretexto do aniversário de 11 de setembro, se lançam a promover tumultos", disse a presidente.

Mesmo durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) eram realizados, nos dias que antecedem o aniversário do golpe, várias manifestações e distúrbios. No ano passado, um jovem morreu baleado por desconhecidos e uma menina ficou ferida e perdeu um olho por causa de bombas de gás lacrimogêneo lançadas pela polícia. Neste ano, a polícia usará um helicóptero que possui uma câmera de infravermelho e um canhão de ultra-som que emite sons irritantes para o ouvido humano.

Tudo o que sabemos sobre:
chilegolpeaniversário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.