Chile: resgate em mina pode começar antes do previsto

O resgate dos 33 mineiros presos na mina San José, localizada no deserto do Atacama, no Chile, pode começar entre 18 horas e 20 horas desta terça-feira, segundo o site jornal El Mercurio. O presidente chileno Sebastián Piñera já chegou ao local e vai acompanhar o processo de resgate dos trabalhadores, que há 68 dias estão presos a cerca de 700 metros de profundidade.

PRISCILA ARONE, Agência Estado

12 de outubro de 2010 | 17h08

As autoridades fizeram uma lista secreta com os nomes dos mineiros que devem deixar o local primeiro, mas a ordem pode mudar depois que os paramédicos e um especialista em minas descerem na cápsula para avaliar os homens e supervisionarem a viajem à superfície.

Os primeiros a saírem serão os quatro mineiros com melhores condições físicas e psicológicas, disse o ministro da Saúde do Chile, Jaime Manalich. Caso algum imprevisto ocorra, esses homens estarão melhor preparados para sair e dizer a seus colegas o que esperar.

A seguir, serão retirados os dez que estiverem mais fracos ou doentes. Um mineiros sofre de hipertensão. Outro é diabéticos e outros estão com infecções respiratórias, com problemas dentários ou lesões de pele em razão da umidade na mina.

O último a sair deve ser Luiz Urzua, que chefiou as equipes quando os homens ficaram presos, segundo informaram vários familiares dos mineiros, em condição de anonimato.

Tudo o que sabemos sobre:
ChileresgatemineirosEvo Morales

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.