Chile tenta envolver Bolívia em disputa com Peru

Segundo chanceler chileno, mapa peruano inviabiliza o acesso ao mar para os bolivianos

AP e Efe, Brasília, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2024 | 00h00

O chanceler chileno, Alejandro Foxley, disse ontem que a cartografia de território marítimo proposta pelo Peru acabaria com qualquer tentativa de atender à reivindicação boliviana de acesso ao mar. Foxley se referia à recente publicação de um mapa no Peru que muda a fronteira marítima peruana, incorporando a seu território uma área de 35 mil quilômetros quadrados do Oceano Pacífico atualmente sob controle chileno.O Chile e a Bolívia começaram a negociar nas últimas semanas um acordo que poderia dar algum tipo de acesso ao mar para os bolivianos (o que não significa entrega de territórios) e os chilenos deram a entender que a passagem seria por uma faixa próxima da fronteira com o Peru - que inclui o porto de Arica. "A nova cartografia (peruana) deixa Arica praticamente sem mar (chileno) e cria um problema para a solução quanto à Bolívia", disse Foxley, em visita a Brasília.A Bolívia perdeu o acesso ao oceano na Guerra do Pacífico, no século 19. O Peru também teve de ceder territórios ao Chile na mesma guerra - entre eles, o porto de Arica. Ontem, o embaixador do Chile em Lima, Cristián Barros, admitiu que, de acordo com um documento firmado no fim da guerra, seu país precisaria de autorização do Peru para abrir o caminho para os bolivianos até Arica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.