Chileno condenado nos EUA por massacre na ditadura

Um ex-tenente do Exército chileno, acusado de executar prisioneiros políticos durante o golpe militar de 1973, foi condenado pela Justiça dos EUA a pagar US$ 4 milhões à família de uma das vítimas. O réu, Armando Fernandez Larios, atualmente trabalha como gerente de loja em Miami.O júri considerou Fernandez culpado de execução extrajudicial, crueldade, tortura e crimes contra a humanidade durante o massacre da ?Caravana da Morte? - um esquadrão da morte que executou 75 prisioneiros políticos. A família de uma das vítimas, Winston Cabello, pediu indenização com base em uma lei americana de 200 anos, criada originalmente para tratar de casos de pirataria.A família não apresentou provas ou testemunhas ligando Fernandez ao assassinato de Cabello, mas acusaram-no de conspirar e oferecer ajuda ao general Sergio Arellano, tido como líder da ?Caravana?. O réu enfrenta processos no Chile e na Argentina, por conta de sua participação no massacre; a Argentina já requisitou sua extradição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.