China acusa EUA de ataques cibernéticos

O Ministério da Defesa da China disse que dois sites militares foram alvos de mais de 100 mil ciberataques por mês no ano passado, com quase dois terços deles originários dos EUA. Esta foi a declaração mais específica do governo chinês desde que a empresa de segurança de internet Mandiant divulgou um relatório, em fevereiro, que ligava militares chineses a ataques em todo o mundo, inclusive contra corporações e agências governamentais dos EUA.

AE, Agência Estado

01 de março de 2013 | 07h21

As alegações chinesas ilustram como os ataques online estão se tornando um grande incômodo para as relações EUA-China. Militares dos EUA e funcionários de segurança interna há muito tempo culpam os militares da China pelos mais graves ataques às redes americanas de computadores. Em 2011, as autoridades americanas apontaram o dedo para a China, quando um relatório da inteligência dos EUA informou que hackers chineses são os "mais ativos e persistentes autores de espionagem econômica".

No site do Ministério da Defesa da China, o porta-voz Geng Yansheng não acusou especificamente o governo dos EUA da responsabilidade pelos ataques. Mas destacou que "essas práticas não são compatíveis com os esforços conjuntos da comunidade internacional para melhorar a segurança na internet. Esperamos que os EUA expliquem e esclareçam". Um porta-voz da Casa Branca se recusou a comentar as alegações chinesas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaEUAciberataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.