China acusa Japão de matar milhares na guerra biológica

Pulgas inoculadas com cólera, febre tifóide, antraz e peste bubônica foram usadas pelo Exército imperial japonês durante a 2ª Guerra no sul da China e foram responsáveis por mais de 50 mil mortes em seis anos, denunciaram nesta quarta-feira cientistas chineses. Huang Ketai, de 68 anos, e Qiu Mingxuan, de 70 anos, são os primeiros cientistas a testemunhar em julgamento relacionado com o uso de armas biológicas pelo Japão na China. Cento e oitenta chineses exigem uma compensação e desculpas do governo japonês pela morte de seus parentes, por causa das armas biológicas, vivissecções e outras brutalidades cometidas pela tristemente famosa Unidade 731. Segundo Qiu, estudos ainda mostram ratos e outros animais infectados com as bactérias do arsenal biológico japonês. "A guerra biológica do Japão causou problemas que ainda ameaçam nossas vidas", disse o cientista. "Uma nova epidemia pode ocorrer a qualquer momento."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.