China admite perdoar dívida iraquiana

A China admitiu que pode perdoar "grande parte" das dívidas do Iraque ao país, estimadas em US$ 5,8 bilhões, mas apenas se as empresas chinesas puderem participar mais ativamente na reconstrução do país árabe. "Admitimos reduzir, em grande escala, a dívida que o Iraque tem para com a China", afirmou o vice-ministro dos Negócios Exteriores, Shen Gofang, ao falar na conferência internacional de doadores para o Iraque, que terminou neste domingo na capital dos Emirados Árabes Unidos.Segundo Shen, o perdão "é mais fácil para a dívida governamental", mas "é preciso o acordo das grandes empresas" chinesas, credoras do Iraque. "Se elas (as empresas) puderem ter um papel mais ativo neste processo (de reconstrução), estarão mais dispostas a perdoar uma parte ou a totalidade da dívida", adiantou. As empresas chinesas pretendem participar das concorrências para a reconstrução das infra-estruturas petrolífera, energética e de transportes do Iraque.A administração transitória iraquiana trabalha para um perdão de 60% da dívida externa do Iraque, estimada em US$ 120 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.